Com criatividade e tecnologia o Turismo pode ser protagonista da retomada econômica

Atualizado: Jul 21

Ninguém estava preparado para tantas mudanças repentinas. Apesar disso, muitas dessas mudanças não são tão novas assim.


O Turismo não estava preparado para uma pandemia, mas tem mostrado exemplos criativos e eficientes de como ultrapassar este momento de tantas incertezas, principalmente porque sempre foi uma indústria preocupada e focada na humanização dos processos.

foto arquivo pessoal. Café New York em budapeste - nov/2015

O “novo normal” não é tão novo assim para este setor. Muitas “mudanças” já vinham acontecendo de forma menos acelerada, ainda que neste momento precisarão se impor de vez. Home office, por exemplo, já não é problema para o turismo faz muitos anos. Excelentes e renomados profissionais do turismo trabalham em home office, inclusive atendendo a grandes empresas.

Se a pandemia veio (economicamente falando) para que colocássemos mais uma vez em questão a falta de humanidade, de empatia nas relações, o turismo precisa ser mais observado por outros setores da economia, pois essas são características primordiais para quem trabalha no setor e também o que muitas vezes definem a fama de um destino como recomendado, "em alta", empreendedor, consagrando cidades, empreendimentos, pessoas.


Há muita informação distorcida desde que o distanciamento social começou no Brasil. Fato é que houve um reboliço em todos os setores da economia e ficou cada vez mais complicado acompanhar as notícias que não paravam de chegar pela internet já repleta de informações desencontradas.


As redes sociais assumiram também um papel importante neste momento. Passamos a observar o que dizia aqueles perfis aos quais imputamos credibilidade. Agora que boa parte das informações começam a se condensar, nos resta saber: o que realmente é importante prestar atenção nesse momento?


Ainda é um momento de muitas incertezas, no entanto, com a abertura do comércio e do fluxo de pessoas nas principais cidades turísticas do mundo, assim como a inevitável chegada do coronavírus por aqui, já dá para perceber quais serão nossos próximos passos.


Neste cenário, o turismo assume papel protagonista e traz exemplos de como pode ser a retomada.


Abaixo, algumas iniciativas que estão acontecendo no turismo e nos saltam os olhos cheios de esperança de que muito em breve poderemos em fim viver nossas liberdades.


Em Curitiba, a Azul lançou sistema de embarque inovador que garante o distanciamento social, indicando para cada viajante qual o seu momento de embarcar. Ganha-se tempo e mais segurança na saúde com esse projeto inovador que utiliza inclusive sistema de realidade aumentada.


Países como Portugal, que teve um dos menores índices de covid entre europeus, onde também os hotéis fecharam voluntariamente (não por ordem do governo) e Espanha, já anunciam precisa retomada do turismo internacional.


Portugal, por exemplo, lançou o selo “Clean and Safe” antes mesmo das políticas de distanciamento acabarem. Este selo facilita o turista identificar que estabelecimentos obedecem novas políticas sanitárias rígidas, facilitando na hora de decidir entre um hotel ou outro por exemplo.

foto arquivo pessoal. Lisboa/PT


Assim como em Portugal, muitos países lançarão selos próprios, portanto, é bom prestar atenção nos diferentes nomes que surgirão e se são selos seguros, fornecidos pelas autoridades locais.


foto arquivo pessoal. Roma, Itália/2019

Apesar de não explicitar a que turistas estrangeiros, a partir de 1º de julho a Espanha não exigirá mais a quarentena. A exigência de quarentena ganhou força em vários países como medida extrema de contenção da disseminação do vírus. A retomada de controle dos sistemas de saúde pode ser a causa que leva a esses países flexibilizarem e até mesmo facilitarem a entrada de turistas. Isso não quer dizer que não haverá as mesmas e até mesmo novas formas de inspeção, principalmente sanitárias (controle de temperatura, exigência de máscara, seguro saúde, etc).



Numa estratégia ainda mais ousada para atrair turistas, o Japão, país que sediaria as Olimpíadas deste ano, anuncia que pagará a metade da viagem de turistas estrangeiros. O que não ficou claro é se haverá algum tipo de seleção e como acontecerá de fato a concretização dessa estratégia. Fato é que o país registrou um número ínfimo de turistas em abril de 2020, ou seja 2900 pessoas, num país que tinha recebido mais de 31 milhões no ano anterior e que provavelmente investiu muito em infraestrutura turística devido ao gigantesco evento esportivo que receberia.



A Grécia também está ansiosa pelos turistas e já anunciou que vai antecipar a retomada que também estava prevista para início de julho e agora tem nova data: 15 de junho. Apesar de não precisar ficar de quarentena, turistas deverão fazer teste para saber se possuem o covid19. Inicialmente as fronteiras estarão abertas para os países vizinhos, como Albânia, Bulgária e Macedônia, o que tem se chamado de viajar naquela "bolha".


Apesar de parecer ainda longe para nós brasileiros que vivemos o pico da pandemia, é uma luz a ser acompanhada de perto, pois provavelmente haverá a inclusão de novos países, o que demonstra que tais "bolhas" aos poucos serão "estouradas". Em 2019, a Grécia recebeu 33 milhões de turistas.

Se você ia conhecer a Disney, Orlando, Nova York e soube que o presidente Trump proibiu a entrada de turistas que tenham estado no Brasil há pelo menos 14 dias. É verdade, apesar também de não ter ficado claro o que fará com os turistas que chegarem nos Estados Unidos com menos de 14 dias (se ficarão em quarentena, ou se nem embarcarão, por exemplo).


Fato é que muitos parques, atrações e até mesmo pontos turísticos não estão funcionando plenamente na América do Norte. Ou seja, o verão americano que vai até final de agosto pode estar descartado para parte dos brasileiros, mas isso não impede programar sua viagem para o final do segundo semestre e até mesmo para o próximo verão em 2021 com a extensa flexibilização de remarcações que não era prática do mercado.




Que saiamos dessa ainda mais fortalecidos. Repleto de ideias inovadoras como a realidade aumentada, Vontade, força e criatividade não faltam aos profissionais de Viagens e Turismo e aos demais setores correlatos.



Todas as informações tem como referência os veículos de comunicação abaixo relacionados. Caso haja algum erro favor comunicar em contato@paespelomundo.com.br

Referências:

58 visualizações