Vinho e Gastronomia em Villa Santa Maria

No Vale do Baú, o complexo reúne vinha, restaurante e opções de lazer como trilhas e cachoeira



Foi no coração do Vale do Baú, na Serra da Mantiqueira, interior de São Paulo, que o casal Célia e Marco Carbonari construiu sua Villa Santa Maria. Em um terreno de 90 hectares, com vista para a Pedra do Báu, desde julho, recebem seus visitantes num complexo que reúne restaurante, lounges com lareira, uma loja, cave, além de cachoeira e trilhas, onde se é possível passar o dia todo apreciando o mundo do vinho, da gastronomia e a natureza.


A história

Tudo começou como um sítio em um hectare para a família, em 2001, de nome Santa Maria. Amantes de vinhos e enxergando na região a possibilidade de se ter um vinhedo, os Carbonari investiram na compra de mais terra e convidou três anos depois o professor, pesquisador e viticultor Murilo Albuquerque Regina para seu manejo. Em 2004, iniciaram sua própria vinha com a técnica da Colheita de Inverno, com quatro mil mudas importadas da França, para vinificação no Núcleo Tecnológico da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) – do qual Murilo é coordenador -, em parceria com a enóloga Isabela Peregrino. Após anos de tentativas e pesquisas, em 2009, os Carbonari chegaram ao seu primeiro vinho e deram a ele o nome de Brandina, em homenagem à avó de Marco. Dois anos depois, veio o primeiro varietal, um Syrah, que ganhou medalha de prata em uma competição em Bruxelas e, ano a ano, nasceram os demais rótulos da marca com os novos hectares que o sítio foi ganhando.


Atualmente, seu terroir de 25 hectares abriga 30 mil pés de variados tipos de uva e, até o fim de 2018, programa expandir para 70 mil pés, trabalhados em diversos assemblages por Isabela Peregrino. Em 2020, o projeto do Villa Santa Maria inclui a vinificação no local.


Estrutura

Com projeto arquitetônico de Celia Carbonari, o Villa Santa Maria nasceu por conta dos vinhos. Com dez mil garrafas produzidas, em quatro diferentes safras, o casal Carbonari criou então um complexo com atrativos diversos, incluindo um restaurante que conta com 120 lugares. “Vinho combina com bons momentos gastronômicos”, explica Célia, que oferece na Bruschetteria da Villa menu degustação de seis tempos, por R$150, que muda toda semana, e que traz sempre pratos criativos com inspiração na gastronomia italiana. No enxuto cardápio, há ainda sabores variados de bruschettas, claro, e três variedades de tábuas de frios, como o Camembert quente com geléia e mel (R$48), o Mix de Queijos (Grana Padano, Gouda, Queijo Azul e Frutas frescas (R$139) ou ainda a mais completa com Presunto Cru, Grana Padano, Camembert, Gouda, Damasco, Castanha de Caju, Geléia, Mel, Crostatta, Azeitonas e Frutas Frescas (R$139).


Pães caseiros, grissinis, manteigas aromatizadas, sal grosso com vinho e mel são alguns outros itens também preparados pelo chef e que podem ser consumidos à mesa ou em qualquer parte do complexo, como à beira da cachoeira. Para isso, na “lojinha”, como é carinhosamente chamada por Celia, é possível comprar uma cesta de piquenique, produzida exclusivamente pelo Villa Santa Maria, para levar os clientes a terem variados tipos de experiências. 

3 visualizações