Portugal: Do Douro ao Alentejo, uma viagem pelos vinhos portugueses

Atualizado: 14 de Jul de 2019

Os vinhos fazem parte do dia a dia dos portugueses. Quem vai a Portugal não pode deixar de conhecer as maravilhas dos vinhos produzidos em regiões como o Douro, patrimônio da Humanidade, Setúbal (que produz o vinho moscatel), o Alentejo (reconhecidamente uma das maiores regiões produtoras de vinhos de Portugal, famosa pelos varietais).


Nessa viagem de 30 dias por Portugal, percorremos vinhedos, conhecemos produtores, vinícolas, adegas e imergimos no universo vinícola português. Como blogueiros enófilos (aquele que gosta de vinho) nos dedicamos a explorar Portugal através de seus vinhedos, castas, vinhos, blends. O resultado dessa viagem foi uma paixão inesquecível por esses sabores.


Embora seja um país pequeno, Portugal possui regiões completamente diferentes e que produzem vinhos com características totalmente distintas. Neste roteiro de vinhos, conhecemos algumas das adegas mais importantes de norte a sul de Portugal.




DOURO



Um passeio incrível pelas vinícolas (Quintas) do Douro.


Primeiramente para chegar ao Douro, você pode ir de carro, ônibus, navio ou fazer um passeio de um dia com empresas locais que oferecem esse serviço.


Optamos pelo Day Trip - viagem de um dia que nos daria direito a conhecer duas Quintas com direito a degustação de vários rótulos. Saímos do Porto às 9h da manhã em direção ao Douro, que fica mais ao norte de Portugal, mais especificamente as cidades de Pinhão e Peso da Régua.



Esse passeio fizemos com a empresa LivingTours, mas existem muitas outras. O passeio conta com um guia contando toda história da região em português e inglês. Vale a pena ir com esses passeios guiados principalmente porque na região do Douro há muitos mirantes em estradas sinuosas que somente locais devem conhecer. Muitos dos hotéis da região ficam afastados e é preciso um motorista habilidoso para encarar.


Nossa primeira parada foi num desses mirantes, de onde é possível ver todo o vale do Douro (patrimônio histórico tombado pela Unesco). Depois seguimos para as degustações de vinhos. O passeio ainda incluía um almoço. No Douro conheci a Quinta do Portal.






















É na região do Douro que os vinhos do Porto são produzidos. É lá onde ficam as vinhas e todo o processo de produção, inclusive o processo de interrupção da fermentação do vinho com a aguardente de uva - principal característica do vinho do porto - também acontece nessa região.


A cidade do Porto recebe o vinho pronto para o processo de envelhecimento no barris de carvalho. Portanto as visitações às Caves na cidade de Vila Nova de Gaia (ao lado da cidade do Porto) são passeios pelas caves de envelhecimento do vinho e não na região produtora.


Uma característica interessante é o nome das empresas familiares donas das Quintas.



A maioria em inglês justamente por pertencerem a famílias inglesas, muitas, há séculos. Os ingleses são tradicionalmente os maiores consumidores de vinhos do porto do mundo, antes mesmo do tratado de Metheun - "panos e vinhos" no qual Portugal estava obrigado a baixar tarifas de seus vinhos e os ingleses de seus tecidos.



O douro é um passeio imperdível. A sensação de estar dentro dos vinhedos que produzem vinhos consumidos em todo o mundo, conhecer um pouco das castas, dos rótulos é indescritível.



Fizemos um passeio de barco pelo rio Douro (uma escuna com vários passageiros), com a empresa o Magnífico Douro. A escuna navega no rio entre os morros repletos de parrerais por uma hora. O silêncio do passeio é relaxante e mostra o lado bucólico dessa rica cultura.


PORTO e VILA NOVA DE GAIA


Primeiramente é bom lembrar que Porto e Vila Nova de Gaia são cidades que ficam uma de frente para outra. A vista que se vê de Gaia é da região da Ribeira no Porto.


É possível conhecer muitas vinícolas na cidade do Porto e Gaia onde estão suas caves de envelhecimento do vinho. É no centro histórico da cidade do Porto onde se concentram muitos hotéis. Da região da Ribeira (que fica no centro histórico - a beira do Rio Douro) dá para ir à pé para as caves de vinhos. Ao atravessar a Ponte Luís I você já está na cidade de Vila Nova de Gaia onde se concentram a maior parte dessas caves.





Na região de Gaia , visitamos as caves Sandman, Graham’s, Ferreira e Taylor’s.



As visitas são bem similares, o que muda um pouco é a história particular de cada produtor. Inicia passando pelos barris de carvalho (francês ou americano), depois pode seguir para barris históricos, tonéis, ou até mesmo um pequeno museu contando a história do produtor.




A visitação da Taylor's termina num pequeno jardim onde começa a degustação. Ah, todas as visitas acabam numa adega onde pode-se comprar os melhores rótulos da marca, principalmente aqueles que não são exportados, além de outros suveniers personalizados.





ALENTEJO



O Alentejo é um dos lugares mais fascinantes de Portugal. Relevo totalmente diferente do norte do país, é também uma das regiões mais quentes. Ah, e a gastronomia é espetacular.





No Alentejo conhecemos a famosa Adega Cartuxa, que tem entre seus rótulos o vinho Pêra Manca, dito como o mesmo vinho que Cabral trouxe nas caravelas em 1500 para o Brasil. O Pêra Manca é o mais emblemático vinho da região, principalmente por essa história que carrega. A visita a Adega Cartuxa é parecida com as visitações da região do Porto, no norte de Portugal.





Na cidade de Évora vale a pena conhecer a Enoteca Cartuxa. Um lugar moderno e com um cardápio delicioso, além dos bons vinhos Cartuxa (colheita e reserva). Fica em frente ao Templo Romano.



Entre as gratas surpresas encontradas no Alentejo está o restaurante Dom Joaquim, onde provamos a saborosa bochecha de porco, um dos pratos típicos da região. O Dom Joaquim tem indicação Michelin além de excelentes doces convençais.





É na região do Alentejo também, na cidade de Montemor-o-novo que fica parte da vinícola do hotel Land Vineyards, que produz vinhos exclusivos para seus hóspedes. Sem dúvida um hotel diferenciado pelo design e bom gosto, além do restaurante com estrela michelin pelo Chef Miguel Lafan. Veja mais sobre o Hotel Land Aqui.





SETÚBAL



Muito próximo a Lisboa é na região do Azeitão - Setúbal que estão duas das mais conhecidas vinícolas aqui no Brasil. A Quinta da Bacalhôa e a José Maria Fonseca. A primeira produz os vinhos Bacalhôa, muitos deles premiados. A JMF é a produtora dos vinhos Periquita. A região é conhecida pelo vinho Moscatel, mais doce e com sabor peculiar.






A Quinta da Bacalhôa tem o diferencial de proporcionar uma visitação ao Palácio da Bacalhôa (foto acima), local cheio de história e que hoje abriga um museu com muitas obras de arte e também exposição sobre os judeus que lá estiveram abrigados durante a 2a Guerra Mundial. A Bacalhôa foi uma das mais simpáticas adegas que visitamos, com funcionários super solicitos e disponíveis a nossas mais diferentes perguntas sobre a vinícola e sobre as obras de arte africanas que o proprietário coleciona.



LISBOA


Lisboa também é uma importante produtora de vinhos. Aos arredores da capital conheci vinícolas em Sintra, Mafra, Torres Vedras.


A Adega Mãe fica na cidade de Torres Vedras uns 40km de Lisboa. É uma das mais modernas adegas do país. A degustação lá inclui diferentes rótulos, visita guiada. Vale a pena principalmente para comparar com outras vinícolas mais tradicionais como as do Douro - Porto.




Em Sintra, embora não conhecer uma vinícola propriamente dita, conhecemos um peuqeno bistrô com fantástica táboa de queijos acompanhada do vinho Collares, um dos mais antigos de Portugal e ainda produzido naquela região. Quem me proporcionou essa maravilha foi o Cantinho Gourmet. O diferencial é a seleção de vinhos exclusivamente portugueses, localizado no centro histórico de Sintra.







356 visualizações